SANDRA SILVA: O EXEMPLO DE RUANDA MOSTRA ALGO A NÓS - NDM ONLINE | NOTÍCIAS DE MAGÉ, CAXIAS E GUAPIMIRIM

Post Top Ad

〚BOLETIM COVID! MAGÉ ATUALIZADO!

SANDRA SILVA: O EXEMPLO DE RUANDA MOSTRA ALGO A NÓS

#ESPALHE!
COLUNAS — Hoje vou começar contando um fato histórico de grande violência que começou uma inesperada consequência em um país da África Oriental. Na década de 90, Ruanda passava por uma grande guerra civil entre grupos étnicos rivais. Esta guerra vitimou mais de 800 mil pessoas, em sua maioria homens, deixando a população adulta quase que predominantemente feminina. Com essa mudança demográfica brusca as mulheres (que foram menos atingidas pela guerra) começaram a ocupar espaços que eram quase que exclusivos dos homens, como a política e os cargos gerenciais de empresas. Hoje, mesmo depois dos efeitos desta guerra terem sido amenizados pelo tempo as mulheres ainda destacam-se nos mesmos campos como referencia de qualidade de trabalho e empenho, balizando-se no grande reconhecimento da população. 

Hoje Ruanda é 6º país mais igualitário em questão de gênero do mundo! Este fato, apesar de ter tido um início profundamente terrível, nos mostra que não existe nada que impeça a igualdade de gênero pelo mundo além dos conceitos subjetivos de cultura e, por consequência destes, os arranjos institucionais locais. No Brasil ainda amargamos uma profunda diferença entre gêneros nas áreas mais importantes do país (mesmo com pequenas mudanças). Apesar das mulheres serem mais qualificadas, ocupam muito menos cargos em áreas de tomada de decisão e gerenciais de empresas. Segundo dados da OCDE, dentro da faixa etária entre 25 e 34 anos, as mulheres representam 25%, enquanto homens ocupam apenas 18% dentro da parcela da população com ensino superior. 

Mas, infelizmente, isso não garante bons números para as mulheres no mercado de trabalho. Segundo dados ofertados pelo IBGE, as mulheres ocupam apenas um pouco mais de 10% dos assentos de Câmara e representam apenas 39,1% dos cargos gerenciais em empresas do país. O nosso país, felizmente, não passa por uma guerra civil.  Mas nossa cultura, mesmo que mudando a pequenos passos, é um grande empecilho para maior equidade entre homens e mulheres. 

É importante que nosso ornamento jurídico esteja atento a promoção da igualdade entre cidadãos como manda nossa constituição, mas precisamos não apenas olhar pela ótica institucional e criar leis para que isso aconteça.  Concomitante, precisamos que nossa cultura social esteja em compasso com o combate a nítida injustiça que permeia as relações de gênero no país.

ATENÇÃO! Esse é um espaço democrático que o NDM abre para que correntes de pensamentos possam ser expressos pelos nossos colunistas. No entanto as opiniões expressas neste espaço, não necessariamente correspondem as opiniões do NDM.

❚ SANDRA SILVA / SECRETÁRIA DE COMUNICAÇÃO / SINDICALISTA E COLUNISTA NO NDM ❚
〚BOLETIM COVID! MAGÉ ATUALIZADO!
❚BOLETIM NDM COVID - RJ


Acompanhe o andamento dos boletins das cidades cobertas pelo NDM escolhendo uma das opções abaixo.




  
✪ PRIVACIDADE: TERMOS!

Post Bottom Ad

Pages