TARJA PRETA: DESEMPREGO VAI CONTINUAR CRESCENDO - NDM ONLINE | NOTÍCIAS, VÍDEOS, PODCAST, OFERTAS E DESCONTOS IMPERDÍVEIS!

Post Top Ad

TARJA PRETA: DESEMPREGO VAI CONTINUAR CRESCENDO

#ESPALHE!
COLUNAS — O mercado de trabalho está mudando drasticamente e com ele os hábitos dos trabalhadores e para piorar, os hábitos dos contratantes. Isso por que agora temos a terceirização ou a precarização do trabalho em si. Antigamente nossos pais mandavam que estudássemos para sermos doutores, inclusive, sempre digo que os pais querem que seus filhos sejam doutores, mas com a dinâmica do trabalho sendo modificada... como é que você trabalhador está se comportando no mercado de trabalho? As previsões ´para o futuro não são nada agradáveis, estamos vendo a cada dia a proliferação do subemprego, levando ao achatamento da renda das famílias, dificultando a retomada do crescimento e com poucas chances de trazer grandes modificações para o atual cenário de elevado desemprego no país e fora dele. A tendência é mundial.  

Além disso, com a generalização da terceirização, acredita–se estar próximo o desaparecimento do chamado emprego protegido. Emprego protegido é aquele emprego de classe média. O cidadão não vai ter mais contratação de classe média, via concurso público, com algum tipo de proteção, carreira ou algo do estilo. O que você vai ter é a generalização da contratação de trabalhadores terceirizados, profissionais terceirizados, ou via cooperativas, ou via empresas de intermediação de mão de obra, empresas de trabalho temporário; é a tendência! No lugar da proteção o mercado de trabalho vislumbra a generalização de práticas que são vistas no setor de transporte de passageiros por aplicativo. 

Alguns estudiosos dizem que teremos o Uber do professor, do enfermeiro, do jornalista, do arquiteto, do publicitário. Ou seja, um tipo de emprego precário mobilizado por plataforma digital. Essa é a tendência. Não se pagará direito nenhum, não terá nenhum tipo de vínculo empregatício, os empregos ocorrerão ao sabor do ciclo econômico, ou seja, das flutuações de mercado. É a devastação máxima da proteção via mercantilização do trabalho. Em órgãos públicos por exemplo estamos vendo as famosas OS’s. Na saúde e educação, a contratação das OSs (Organizações Sociais sem Fins Lucrativos) para administrar hospitais e escolas já é uma realidade no país. Ainda é uma realidade minoritária em relação ao conjunto das instituições, mas agora, com a liberação da terceirização para atividade-fim, vai se transformar em majoritária.

Consequentemente o setor privado vai acompanhar a tendência, mas se você que ainda está estudando e quer um trabalho protegido, estude para ser um Juiz ou um promotor, pois os mesmos se protegerão. A tendência mundial é afastar o trabalhador cada vez mais dos seus direitos e, consequentemente, bloquear o acesso à Justiça do Trabalho. Forçar uma aceitação, uma subordinação já na ponta do encerramento do vínculo empregatício. No curto e médio prazo, os próximos cinco anos, o que você vai perceber é que, se houver uma recuperação do emprego, vai se dar na base da generalização do subemprego. Ou seja, de um tipo de emprego que remunera muito mal, com jornadas muito longas e distante da proteção trabalhista, dos benefícios da negociação coletiva de trabalho. Em  outros casos internacionais, há uma estabilização do desemprego num patamar muito alto, com uma deterioração das condições de contratação no interior do mercado de trabalho. 

Por outro lado, isso atinge a renda, o que significa que um dos motores do crescimento econômico vai claudicar, e muito provavelmente vamos manter taxas muito baixas de crescimento econômico, o que repercute sobre a própria questão do investimento e, consequentemente, do desemprego. Finalmente, a questão previdenciária vai estar em risco. Com a deterioração das condições de consumo das famílias trabalhadoras, com a generalização do trabalho terceirizado, a tendência é aprofundar as tensões em termos de financiamento da Previdência pública no país, com efeitos principalmente sobre a velhice. O aumento da pobreza na velhice  está a vista. O mundo está vivendo uma revolução  do ponto de vista da automação, da inteligência artificial, e isso tudo traz um elemento complicador. 

Os cálculos que são feitos nos países desenvolvidos apontam para uma coisa em torno de 22% dos empregos que seriam direta ou indiretamente atingidos pela revolução da automação, em particular no setor de serviços. No caso brasileiro, idem. A gente vai ter um impacto nessa direção, com a generalização do tipo de trabalho precário mobilizado por plataforma eletrônica, como foi dito anteriormente. Para terminar... o cidadão terá que investir, basicamente, na qualificação, setores que ainda conseguem criar empregos de qualidade terão que ser garimpados, reverter essa corrente será meio que problemático. 

Os governos que sucederão a esse que aí está terá que propor um aumento da proteção do trabalho e, principalmente, a medida mais importante de todas elas, tem que diminuir a jornada de trabalho sem diminuição de salário. Ou seja, tem que repartir a massa de trabalho existente por aqueles que estão dispostos a trabalhar. Sem isso, não há a menor possibilidade de reverter essas tendências no curto e médio prazo.

ATENÇÃO! Esse é um espaço democrático que o NDM abre para que correntes de pensamentos possam ser expressos pelos nossos colunistas. No entanto as opiniões expressas neste espaço, não necessariamente, correspondem as opiniões do NDM.


❚ EDUARDO CEZAR, O TARJA PRETA: BLOGUEIRO / COLUNISTA NO NDM ONLINE ❚




❚ INFORME NDM ❚
GABINETE DO POVO — A Prefeitura Municipal de Magé, lançou o Gabinete do Povo no centro de Piabetá, afim de aproximar os serviços públicos da população do distrito mais populoso de Magé (6º Distrito). O Gabinete do Povo oferece um atendimento rápido e diferenciado para os munícipes. O Gabinete do Povo fica localizado ao lado da Agência dos Correios e do DPO de Piabetá, no Centro.
   
VISUALIZAÇÕES DO INFORME NDM
Contador de visitas



  
✪ PRIVACIDADE: TERMOS!

Post Bottom Ad

Pages