UOL: Futuro comandante do GSI, general defende Abin: "não tem muito o que mexer" - NDM - NOTÍCIAS DIGITAL MÉDIA | SITES DE JORNALISMO BRASIL

ÚLTIMAS!

Home Top Ad

Post Top Ad

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

UOL: Futuro comandante do GSI, general defende Abin: "não tem muito o que mexer"




PORTAL UOL  O futuro ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), general da reserva Augusto Heleno, defendeu nesta segunda-feira (3) poucas mudanças de pessoal na Abin (Agência Brasileira de Inteligência). 

A agência é subordinada à pasta e chegou a ser criticada por Bolsonaro em julho deste ano pela atuação durante a crise da greve dos caminhoneiros.

Segundo Heleno, mudanças na gestão da Abin, assim como no Ministério da Defesa, não são comuns e o momento é de estudar a atual composição do GSI. Em sua avaliação, o mais importante é o titular da pasta ser próximo ao presidente da República.


Não tem também muita coisa para mexer [na Abin]. Hoje vocês viram aí o prestígio do GSI, as inúmeras missões, a necessidade da proximidade do GSI com o presidente. Isso me preocupa muito mais do que mexer em gente. Não tenho por que pensar nisso agora. Preciso ter mais contato [com os atuais integrantes da pasta]. Mas não é muito normal. Essas mexidas não são muito normais. O GSI, como o Ministério da Defesa, são dois ministérios que já vinham bastante arrumados. Não tem muito o que se preocupar em mexer com gente

Declarou.

✪ VEJA TAMBÉM: ÚLTIMAS NOTÍCIAS SOBRE JAIR BOLSONARO!
► ASSISTA TAMBÉM: VÍDEOS EM DESTAQUE NO NDM ONLINE
✔ LEIA TAMBÉM: DESTAQUES NA POLÍTICA NACIONAL
♫ ACOMPANHE: NOTÍCIAS DO MUNDO DA MÚSICA E ARTISTAS

Veja a notícia na integra em (PORTAL UOL AQUI).





☗ NDM INFORMA!

Alerj aprova fim da vistoria no Detran

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou na quinta-feira (14/12), um projeto de lei que acaba com a vistoria veicular obrigatória feita nos postos do Detran. Parar virar lei, a proposta depende da sanção do governador em exercício, Francisco Dornelles (PP). Caso seja votada, volta para ser votada novamente pelos deputados. LEIA +

✪ PRIVACIDADE: TERMOS!

Post Bottom Ad