PUBLICIDADE

Recontagem de votos em Magé é negada

A então candidatoa a vereadora por Magé entrou na justiça e pediu uma recontagem nos votos
na disputa que foi realizada durante o primeiro turno em Magé, pois bem Justiça negou esse
pedido.

Sem apresentar qualquer prova para sustentar sua alegação, Adriana Holanda dos Santos, que concorreu pelo PMDB, impetrou pedido de recontagem dos votos, alegando ter sido prejudicada com o sumiço de alguns sufrágios. A decisão tomada pela juíza Patrícia Salustiano, da 110ª Zona Eleitoral, está publicada na edição de hoje do Diário da Justiça. O recurso foi julgado improcedente por falta de provas.

Eu já tinha ouvido falar que muitos candidatos não gostaram dos resultados nestas eleições, mas sinceramente não acreditei que iam levar este pedido a Justiça a sério,  a população infelizmente de fato reelegeu muitos políticos que já estava no poder anteriormente agora é aguentar os próximos anos para que eles façam bons trabalhos como legisladores fiscalizadores que o são.

Falta de Luz Em Magé Nas Eleições 

Adriana Holanda alegou no processo as estranhas quedas de energia na cidade justamente no momento da apuração, sei que muita gente vai me criticar mas vou expor minha estranheza neste ocorrido, afinal estávamos transmitindo justamente este o momento da apuração das urnas em Magé pela Rádio.com e Rádio Twitter quando tivemos 3 quedas de luz que prejudicaram nossa transmissão. Dia de votação e apuração não deveriam ocorrer estes tipos de eventos ou então ficam duvidas sobre estes sinistros e misteriosos acontecimento, será que a ampla não foi severamente punida? não estou afirmando que houve roubo de votos, mas fica uma pergunta será que estas faltas de energias aconteceram no Rio? ou em São Paulo? Com toda certeza não com esta frequência, ou então a imprensa ia colocar todo o processo eleitoral em cheque.

No trecho do processo diz: Ao analisar o recurso de Adriana o representante do Ministério Público junto à 110ª ZE, relatou que “é necessária apresentação de prova robusta a embasar o pedido de recontagem de votos nas eleições, tendo em vista o rigoroso sistema de segurança utilizado pela Justiça Eleitoral na criação e tratamento dos dados inseridos nas urnas eletrônicas”, completando que a candidata “alega, mas não comprova nos autos em que Zona Eleitoral ocorreu a suposta falha de energia” e que “não há notícia do ocorrido nesta Zona Eleitoral no último pleito, sendo certo que a apuração dos votos transcorreu dentro da normalidade até a finalização dos trabalhos com a transmissão dos dados.

No entanto vizinhos do TRE em Piabetá onde ocorria a apuração das urnas ficaram sem luz e isto é notório e todo mundo sabe portanto devemos ir ao ponto, este tipo de pane exatamente em plena hora de apuração vai colocar os que saíram derrotados nas urnas com a pulga atras da orelha, que nas próximas eleições isto não mais ocorra.