PSB De Magé Terá Que Reduzir Nominata


Por Mauricio Junior - Já começaram a retornar para a 110ª Zona Eleitoral os processos dos 66 candidatos escolhidos pelo PSB, PSDC, PRTB, PSOL e PR para disputar a eleição de vereador em Magé. O TRE determinou o retorno para que a juíza Patrícia Salustiano proceda com os registros individuais por partido, uma vez que as duas coligações proporcionais formadas em apoio ao candidato do PSB a prefeito, Ricardo Correa de Barros, o Ricardo da Carol, foram impugnadas por conta de omissão na ata. Com os registros individuais terá de haver cortes e adequação à norma que determina que pelo menos 30% das candidaturas sejam de mulheres. No caso do PSB, terão de ser cortados dois candidatos, pois ao contrário do que foi noticiado, fora de coligação um partido pode inscrever no máximo 26 postulantes.

Com 28 candidatos na nominata atual - 17 homens e 11 mulheres – a conta de chegar a ser feita pelo PSB terá de estabelecer novo elenco, somando 26 candidatos e o mínimo oito mulheres, mas esse problema não deverá ser difícil de resolver, pois alguns desses nomes já dão sinais de desistência. Ontem, por exemplo, o candidato Romildo Seixas Nunes, deixou claro que não será mais candidato a vereador e que vai caminhar em apoio à candidatura majoritária do PMDB, cujo comando tem sido contatado por outros nomes do PSB, insatisfeitos com o modo em que a aliança com o PR se deu. Foi essa aliança que comprometeu todo o esquema eleitoral traçado pelas legendas envolvidas em torno da candidatura majoritária do PSB.

No caso do PSDC a conta fica mais difícil de fechar, pois dos 14 candidatos escolhidos em sua convenção, 11 são homens e três mulheres, quando o certo seria contar com 10 homens e quatro mulheres, para se enquadrar nos 30% de candidaturas femininas exigidos por lei. Como o partido não pode apresentar novos nomes para chegar ao limite máximo de 26 postulantes, terá de cortar dois homens, passando a concorrer com 12 candidatos e chegar aos 30% de candidaturas femininas.

Em relação ao PSOL – que tem 12 candidatos homens e seis mulheres – nenhuma alteração precisará ser feita, mas o comando do partido terá  que conduzir os postulantes ao trabalho dobrado, se quiser atingir o coeficiente eleitoral para eleger pelo menos um vereador, objetivo ainda mais difícil de ser atingindo pelo PSDC que terá de cortar dois. Quanto ao PR e ao PRTB, esses dificilmente vão querer registrar seus candidatos - cada um tem três nomes -, pois, matematicamente falando, só teriam chances de eleger alguém através da coligação PSB/PR/PRTB, barrada pela Justiça Eleitoral.
Com informações do jornalista Elizeu Pires

Este site usa cookies para melhorar o funcionamento e distribuição de seu conteúdo e sua interação com ele. Usando cookies, estamos colhendo e guardando temporariamente alguns dados pessoais. Você pode alterar as configurações de cookies no seu navegador. Mais informações: (Política de Privacidade).

PUBLICIDADE