PUBLICIDADE

Justiça Eleitoral Investiga Uso De Clínica Em Magé

Na cidade de Magé, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, a Justiça Eleitoral investiga o uso de um centro de reabilitação de dependentes químicos para fins eleitoreiros. A suspeita surgiu depois que fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de janeiro (TRE-RJ) encontraram internos fazendo panfletagem no bairro Praia de Mauá.

No flagrante da Justiça Eleitoral fluminense, a beneficiada pela propaganda foi a candidata a vereadora de Magé Conceição Maria Almeida Brito da Silva, do PSC. Ela, supostamente, é mantenedora do Centro de Reabilitação Projeto Abrigo, especializado no tratamento de dependentes químicos, onde estão os internos vistos pelos fiscais em ato de panfletagem.

De acordo com o juiz Orlando Eliazaro Feitosa, da 148ª Zona Eleitoral do Estado, os indícios de uso eleitoreiro do centro de reabilitação são fortes. "O fato é ainda mais grave porque estão usando pessoas em tratamento de um mal gravíssimo, que é o vício em entorpecentes, em campanha eleitoral", enfatiza.

As informações do chefe do cartório eleitoral responsável pela fiscalização na cidade, Wagner Rabello Júnior, são de que a participação de internos em campanhas da candidata é recorrente. De acordo com ele, já há registro de denúncias anteriores, inclusive pela internet. O caso segue para o Ministério Público Eleitoral (MPE).

É o fim da picada não por nada não mas isso é um absurdo, já defendi publicamente a senhora em questão afinal se ela tem um projeto de recuperação de drogados e aqueles que são acolhidos pelo 
projeto tem o direito de apoiar a iniciativa da fundadora do tal projeto.

Queríamos nós que os velhacos da politica de nossa cidade fossem comprometidos com essas causas e não vissem só os seus umbigos, Magé precisa de gente seria independente de ser pastora ou padre.